Brasil

[Brasil][bsummary]

Mundo

[Mundo][bigposts]

Política

[Política][twocolumns]

Especialistas preveem aumento da covid e não descartam lockdown no DF



Beirando mil moradores mortos, o Distrito Federal retoma as atividades comerciais e a população relaxa quanto às medidas sanitárias. Especialistas alertam para a gravidade da situação, que deve ficar mais crítica nos próximos 15 dias, e para a possibilidade de lockdown


Bares e restaurantes reabriram as portas, parques voltaram a funcionar e lojas, academias e salões de beleza retomaram as atividades. Enquanto isso, o novo coronavírus mata cada vez mais pessoas no Distrito Federal. Hoje, a capital registra 1.075 óbitos, sendo que 96 pessoas eram moradoras de outros estados que faleceram em uma unidade de saúde do DF. Especialistas alertam que, diante deste cenário, em quinze dias, será possível observar as consequências do descaso com o isolamento social, com um aumento drástico no número de casos.


Ontem, o DF chegou à marca de 81.163 infectados. Nas últimas 24 horas, foram registradas 1.763 ocorrências. O número elevado de pacientes aproxima o sistema de saúde de uma situação crítica. Nos hospitais públicos, 82,09% dos leitos destinados ao tratamento da covid-19 estão ocupados; na rede privada, a taxa é de 90,84%.

Apesar da escalada de casos, o isolamento social vem caindo, gradualmente, no DF. Ontem, o site Inloco registrou taxa de 35,7% de isolamento social na capital, esse índice era de 62,2%, no fim de março. Os dados são consolidados a partir de informações coletadas de localizadores de celulares.

A reportagem do Correio observou o descumprimento do isolamento social e das medidas sanitárias nas ruas de Brasília. Um grupo de homens, todos sem máscaras, jogava futebol na entrequadra da 102/103 Norte. As atividades físicas coletivas estão suspensas, e o uso da proteção facial é obrigatório.

Três amigas — Louise Menezes, Mariah Freire e Damiani Ribeiro —, que há muito tempo não se viam, resolveram encontrar-se, ontem à tarde, no Parque da Cidade. Esticaram uma toalha no gramado, levaram lanches e bebidas. Elas dizem fazer o isolamento em casa, mas resolveram abrir uma exceção. Nenhuma usava máscara e disseram que ninguém chamou a atenção pela falta do equipamento. A equipe do DF Legal estava a poucos metros do grupo.

Fonte: CB

Nenhum comentário:

Postar um comentário